Artigos por Dr. Daniel Valpaços



7 dicas para manter as suas pernas leves este verão : publicado na revista Zen Energy n°67 de Agosto 2014

Pernas cansadas, inchadas e pesadas, formigueiros e comichão vão atormentar as suas férias, as viagens longas e o seu final de dia ?

O verão não é compatível com o inchaço das pernas mas existem dicas para atenuar esses efeitos.

Afinal o que provoca estas pernas de “chumbo”?

A síndrome das “pernas pesadas” atinge cerca de 25% dos homens e 57% das mulheres, o que representa cerca de 3 milhões de portugueses ou seja um terço da população.

Esta afecção traduz-se pela sensação de pernas pesadas, cãibras ou impaciência (movimentos espasmódicos). Manter um posição em pé prolongada, espezinhar, usar roupa muita justa (meias, botas, calças apertadas), calor e o excesso de peso são factores amplificadores.

De um ponto de vista médico este fenómeno integra-se numa patologia ao sentido mais largo de “insuficiência venosa” que também se pode manifestar por varizes ou flebites.

Nota: se os sinstomas persistirem, consulte o seu médico de clínica geral.

O nosso sistema venoso.

Todos os fluidos corporais como o sangue, a linfa exercem funções importantes no nosso organismo. O sangue têm por papel essencial o transporte de oxigénio e o fornecimento das substancias nutritivas necessárias aos tecidos vivos, bem como eliminar os detritos e manter a nossa temperatura corporal.  Para permitir todas estas funções o sangue deve circular em permanência, tendo o auxilio do coração que bombeia o sangue através o nosso organismo por vasos sanguíneos. Existem três tipos de vasos sanguíneos: as artérias, as veias e as capilares, diferindo em tamanho e importância.

O sangue não aflui à velocidade constante, dependendo da quantidade de sangue que os tecidos necessitam nesse momento: por exemplo quando corremos existe uma quantidade superior de sangue dirigida pás os músculos das pernas.

De forma geral, o transtorno das pernas pesadas deve-se à uma má circulação sanguínea; as varizes têm um papel importante à esse respeito. Esta afecção resulta principalmente de uma obstrução crónica da circulação do sangue nas veias, causada pela pressão acrescida na sequencia de um estreitamento das paredes vasculares ou durante a gravidez. Outros factores como a falta de exercício e a obesidade influenciam, além de numerosas pessoas terem predisposições hereditárias ao desenvolvimento de varizes.

Na sequencia desse aumento de pressão, as pequenas válvulas presentes nas veias que impedem que o sangue desça nas pernas por gravidade, deformam-se ou rompem. Essa estagnação do sangue provoca saliências nas veias ou varizes visíveis que dificultam a circulação sanguínea.

As varizes, a insuficiência venosa ou a má circulação afectam os doentes de varias formas, desde :

-       Pernas pesadas

-       inchaço dos tornozelos

-       cansaço na marcha

-       formigueiros e tremores no membro inferior

-       comichão e por vezes eczema

-       coloração azul/roxa das veias

-       ulceração da pele

Embora a sensação de pernas pesadas seja algo de recorrente na população portuguesa sem grande alarmismo e combatido através de cremes refrescantes, é fundamental destacar que o rastreio pelo seu médico é o 1° passo para prevenir e avaliar o agravamento da doença: as pernas pesadas constituem o primeiro sintoma de uma patologia vascular.

As complicações de uma insuficiência venosa vão de o aparecimento de varizes, passando pela flebite até a embolia pulmonar, com lesões graves respiratórias e gerais.

O tratamento

A abordagem clássica da síndrome das pernas pesadas concentra-se na luta contra os sintomas ou na intervenção cirúrgica.

O primeiro passo baseia-se no combate aos maus hábitos : combater o sedentarismo, iniciar a actividade física, reduzir a quantidade de sal na alimentação, evitar a exposição prolongada ao sol, prevenir as posições estáticas ...

Uma delas consiste na terapia de compressão via o uso de meias de contenção, vulgarmente apelidadas de meias de descanso, para contrariar a pressão excessiva nas veias.

O uso de medicação de tipo venotónicos exerce uma acção anti-inflamatória, estimula o tonus venoso e protege as células internas das paredes das veias.

 Recorre-se ao laser para as intervenções em varizes superficiais com anestesia local e à cirurgia para a remoção de veias varicosas.

A osteopatia

A Osteopatia é indicada em ausência de lesões estruturais do sistema vascular. Alias a Osteopatia nao é uma medicina alternativa na ideia de “substituir” mas sim uma medicina funcional que completa outros tratamentos.

Se as estruturas das paredes venosas estiverem intactas apesar de se manterem as queixas, é sinal que a função das estruturas esta em causa : trata-se da mobilidade das articulações, da irrigação sanguínea, de irritações nervosas, músculos hipertensos, desequilíbrios posturais...

A abordagem osteopatica é holística e causal, contemplando todo o corpo humano: o tratamento é obviamente especifico à cada utente.

Para ter uma pequena ideia, a Osteopatia intervirá através de manipulações, mobilizações e estiramentos para aumentar a circulação venosa e eliminação dos detritos.

Parte do tratamento baseia-se na estabilidade e mobilidade do membro inferior, das articulações da anca aos tornozelos, sem esquecer os joelhos de forma à restituir ao equilíbrio circulatório e impedir todos os fenómenos de estase venosa.

A coluna vertebral também têm um papel preponderante no tratamento das pernas pesadas. De um ponto de vista neurológico, a circulação venosa é regulada à partir da coluna vertebral e das suas relações com o sistema nervoso central. Zonas como a transição entre as vértebras torácicas e lombares, para os mais aguerridos entre L1 e L2, podem através de uma disfunção compressiva aumentar a sintomatologia de inchaço, cãibras, formigueiros, cansaço ...

Siga as nossas 7 dicas para uma “pernas leves” este verão !

Nota :  A Osteopatia não se substitui à consulta do seu médico e ao uso de medicamentos.

Previna-se e efectue um rastreio junto do seu médico, cirurgião vascular ...

  1. 1.Caminhe Descalço. Na areia, na relva, desenrolando o pé do calcanhar até à ponta dos dedos: nada melhor para uma massagem profunda e estimulação da circulação
  2. 2.Mime a planta dos pés: coloque à plano o seu pé numa pequena garrafa de agua, bola de ténis ou até no cabo de uma vassoura. Faça rolar o objecto debaixo do seu pé para relaxar de forma delicada e suave.
  3. 3.Massaje de Baixo para Cima. Coloque as duas mãos no tornozelo, efectue pressões sucessivas e suba progressivamente até ao joelho. Pode também optar pela ajuda de cremes, gel, óleos essenciais que aceleram a micro circulação e têm um efeito refrescante. (peça conselhos ao seu farmacêutico)
  4. 4.Ouse o frio. Termine o seu duche por um jacto de agua nas suas perna, morna e de seguida fria, sempre de cima para baixo. (em direcção ao coração).
  5. 5.Faça exercício. Suba escadas, caminhe, pedale, nade ... A contracção dos músculos propulsiona o sangue através das veias. Os músculos tónicos também asseguram uma melhor drenagem venosa e afinam a perna. Da mesma forma, inspire-se das bailarinas : mantenha-se direita e em apoio numa cadeira por ex. e coloque-se na ponta dos pés durante 5 segundos uma dezena de vezes.
  6. 6.Alimentação equilibrada. Não há pernas leves sem um prato versão light em gorduras e sal, porque este ultimo em excesso favorece a retenção de agua e os edemas. Opte por gorduras boas, ricas em ómega 3 que fluidificam o sangue ( peixes gordos, sementes de chia, nozes, brócolos ...) Use e abuse de frutas e legumes ricos em vit C, poli fenóis, flavonoides, antocianos e taninos, cujas acções oxidantes protege a parede dos vasos. Este verão nao lhe faltam opções : pimentos, tomates, brócolos, mirtilos, amoras, melões, alperces, pêssegos... todos têm um efeito protector. Beba muito: agua, chá, infusão, não há melhor para lutar contra a retenção de água.
Top