AGENDAR consulta   256 099 859

 

 

Artigos por Dr. Daniel Valpaços

Publicado na Revista ZEN Energy n° 62 de Março 2014

 

A gravidez é um período de grande felicidade e realização para a mulher.

Alias a gravidez, é o conceito mais impressionante na humanidade, desde uma pequena célula ao desenvolvimento de um ser humano.

Se descobriu que estava grávida, bem-vinda numa aventura de nove meses... Aventura que vai submeter o seu organismo à profundas alterações : queimaduras de estômago, náuseas, vómitos, varizes, tornozelos inchados, cansaço, hemorróidas, dores de costas etc etc... são os pequenos problemas de saúde que irão fazer parte do seu dia à dia.

Se a osteopatia é frequentemente associada ao tratamento da dor de costas na grávida, a extensão do seu campo de acção é desconhecida do grande publico. No entanto, a maior parte dos transtornos funcionais relacionados com a gravidez revelam um desequilíbrio do esquema corporal. Detectando e corrigindo esses pequenos desequilíbrios, a osteopatia alivia os efeitos secundários indesejados ressentidos pela grávida, o que facilita tanto a gravidez como o parto, favorecendo também o equilíbrio do recém-nascido e a recuperação da mamã.

Um corpo em constante mudança

O corpo da grávida modifica-se ao longo de nove meses, a alteração mais visível é o aumento de peso que poderá vir a atingir entre 9 e 12kg devido ao crescimento do feto, do liquido amniótico e da placenta. Este aumento significativo de peso vai se repercutir  nas articulações (ancas, joelhos, tornozelos) e principalmente na coluna vertebral, cuja vai ser submetida à um stress de gravidade mais importante. Para criar espaço para o feto, a modificação do centro de gravidade e a alteração das curvaturas irão provocar um desequilíbrio das cadeias posturais e o aparecimento de dores na zona lombo sagrada. Isto ainda mais, se antes da gravidez, a futura mamã já apresentasse tensões ou traumatismos vertebrais.

Alem disso, o organismo é submetido à modificações hormonais, químicas e emocionais.

Por exemplo, a progesterona, a hormona da gravidez por excelência, ira nomeadamente provocar uma hiper laxidão ligamentar, relaxamento dos ligamentos que permite a flexibilização dos ossos da cintura pélvica para a passagem da cabeça do bebé mas que vai interferir em todas as articulações e criar um sistema instável e sujeito à tensões e traumatismos. A progesterona é também responsável pelo estado de obstipação durante a gestação, o que completa a receita ideal para sofrer de lombalgias.

Sem se focalizar somente na coluna, durante o primeiro trimestre, o aumentos dos níveis hormonais (progesterona e estrogénio) vão causar uma alteração do seu paladar e aumentar a sensibilidade do seu olfacto o que provoca enjoos matinais e vómitos. Stress, ansiedade, hiploglicémia (0,7 à 0,8 g/litro durante a gravidez, o normal sendo de 1g/L), tensões músculo-esqueléticas afectando o sistema nervoso, são outros factores que provocam náuseas e vómitos, que para muitas mulheres são os primeiros sinais de gravidez.

Pernas pesadas, inchaço dos tornozelos, cãibras são outros incómodos que afectam o quotidiano; os responsáveis: a deficiência em cálcio e magnésio, a compressão do sistema nervoso, tensões na bacia e diafragma que diminuem o regresso venoso e o efeito hormonal sobre a elasticidade das paredes venosas.

Ao nível digestivo, queimaduras de estômago, obstipação, refluxo e azia têm a sua origem na profunda mudança hormonal, esta famosa progesterona mas também na compressão do sistema visceral pela subida do musculo diafragmático e pela reorganização postural da coluna vertebral cuja é responsável pela enervação dos mesmos.

O acompanhamento em osteopatia

A osteopatia pode ser praticada ao longo de toda a gravidez, sendo o tratamento adaptado à cada fase, sem risco para bebé e mamã. A particularidade da Osteopatia é a abordagem global da gravidez no tratamento dos vários sistemas (músculo-esquelético, nervoso, digestivo, urológico, ginecológico e hormonal) envolvidos na gravidez.

A osteopatia considera que os pequenos sintomas em todas as fases da gestação resultam de mudanças posturais e de instabilidade/traumatismos antes da gravidez.

No entanto, para simplificar, a osteopatia divide a gravidez em 5 etapas :

-       de 0 à 12 semanas : Náuseas, vómitos, refluxo, queimaduras de estômago, azia são os primeiros sinais gestativos. O tratamento osteopatico consiste em devolver a mobilidade da zona vertebral torácica responsável pela enervação digestiva superior e regular o movimento diafragmático diminuindo a sua compressão no estômago, fígado, esófago...

-       de 12 à 28 semanas :  O aumento das curvaturas da coluna vertebral marca o aparecimento de lombalgias, pubalgias, ciáticas, dores de costas avaliadas pelo diagnostico de Zink. Este ajuste vertebral passa pela correcção dos pivots biomecânicos desde a bacia até à zona cervical. Os anti-inflamatório são contra-indicados durante a gravidez.

-       de 28 à 36 semanas : Esta etapa é a que suscita a maior pesquisa pelas pacientes grávidas. Alem do aumento ponderal e das curvaturas que agravam as dores de costas e de bacia, o estado congestivo provoca o inchaço dos tornozelos, joelhos e sensação de pernas pesadas, tratado em osteopatia pela técnica dos “8” diafragmas (técnicas fluidicas). Igualmente a compressão do diafragma cria dificuldades respiratórias afectando as costelas.

-       de 36 à 40 semanas : É fundamentalmente a preparação ao parto, baseia-se no trabalho muscular da bacia e do cóccix. 

-       Pós parto : este período centra-se na reequilibração postural da zona lombar e da bacia fragilizada pelos fórceps, duração e forças exercidas durante o parto. Para alem o osteopata trata os problemas cicatriciais, episitomia ou cesariana e cicatriz interna da epidural.

A osteopatia têm um papel importante no tratamento e acompanhamento  multidisciplinar da grávida. Espero que em breve vejamos nas maternidades portugueses a Osteopatia, alias porque existe há anos em países como França ou Suíça. 

Nota :  A Osteopatia não se substitui à consulta do seu médico e ao uso de medicamentos.

10 conselhos para uma gravidez saudável :

 1.Faça 3 refeições principais por dia à horas regulares juntamente com 2 pequenas nos intervalos

 2.Evite alimentos ricos em gorduras e bebidas com gás, e não se deita logo apôs a refeição

 3.Beba 1,5L de agua por dia

 4.Evite o porte de objectos pesados e a flexão sobre o seu abdómen.

 5.Sente-se para se vestir, dobre os seus joelhos para se agachar.

 6.Mantenha-se activa, caminhe pelo menos 30 minutos por dia.

 7.Prefira os sapatos rasos, os tacões aumentaram a curvatura lombar.

 8.Coloque uma almofada por baixo das suas pernas assim que descansa e/ou dorme.IX.            9.No duche termine com agua fria dos tornozelos até as ancas ou massaje as suas pernas. (pode usar meias de descanso : aconselhe-se junto do seu médico).

 9.No duche termine com agua fria dos tornozelos até as ancas ou massaje as suas pernas. (pode usar meias de descanso : aconselhe-se junto do seu médico).

10.Respeite o seu sono : deite-se e levante-se à horários fixos, opte por uma temperatura no quarto entre 18 e 20°C.

Nota : A Osteopatia não se substitui à consulta do seu médico e ao uso de medicamentos

Partilhe o nosso artigo e deixe o seu like !