Osteopatia e postura

A postura, é o resultado de processos  implementados para a estação de pé, manter um equilíbrio durante a realização de uma tarefa e permanecer em estado estável face aos constrangimentos do ambiente externo. Esses processos podem ser neurológicos, mecânicos ou cognitivos.

 Os processos neurológicos
  • Realizam-se à vários níveis, por círculos de controle ao nível da medula espinhal, por controles vindo do cérebro.

 

Os processos mecânicos  

  • O equilíbrio do ser humano é mantido por um controle muscular constante. Os centros de gravidade dos nossos membros não correspondem aos centros articulares das nossas articulações. Se os músculos  estão sobre o comando dos processos neurológicos, existem tecidos aliviando o nosso sistema muscular. Seria arrasador manter-se de pé somente com os músculos. Os pacientes sofrendo de miopatias, mostram-nos até que ponto os músculos podem ser aliviados por outras estruturas tissular.
  • As fascias, ou mais simplesmente as aponevroses, as paredes intermusculares pelas suas funções de sustentação, de coesão das sinergias musculares diminuem fortemente os esforços musculares.

 

Os processos cognitivos

  • Por processos cognitivos, entendemos esse termo por as funções neurológicas superiores, como a inteligência, a reflexão, a memoria, a percepção e integração do nosso ambiente externo ...
  • Inteligência e postura ? reflexão e postura ? em que é que saber fazer um conta de 1+1 tem à ver com a forma de se manter de pé e reciprocamente?
  • É tão simples, que é ai que tudo se complica. As zonas ao nível do nosso cérebro que recebem e coordenam a nossa postura , também são utilizadas pelas que nos servem a contar.

 

Se admitirmos, que má hábitos e posições , vão sobrecarregar as nossas articulações, entendemos perfeitamente que um tratamento mecânico possa ter efeito sobre as dores.
Mas se considerarmos que não existe “má postura”, porque é a combinação perfeita dos 3 sistemas que citamos acima, então o tratamento mecânico é incompleto e explica as recidivas.

 


 

A osteopatia tira os seus benefícios e resultados significativos para o paciente :

Ao nível neurológico:

  • Nos arcos reflexos da medula espinhal, a manipulação de uma junta vertebral não actua somente sobre a mobilidade mas também como estimulo dos gânglios espinhais,
  • Nos centros corticais pelo trabalho sobre as diversas entradas sensoriais que nos estabilizam no espaço (olho, dentes, vestíbulo, pés, o pescoço, a pele...)
  • Ao nível mecânico, pelo um trabalho de relaxamento das fascias, ou de reactivação das funções musculares poucas utilizadas,
  • Ao nível cognitivo, pelas percepções das dificuldades de aprendizagem (dislexia ou défice de atenção com hiperactividade) e a ligação com o sistema corporal.