Publicações de Dr. Daniel Valpaços

Publicado na Revista ZEN Energy n° 58 de Novembro 2013

 

 
 

A depressão sempre existiu, porem sem usufruir da mesma designação :

-       na Antiguidade, apelidava-se de “melancolia”

-       em 400 antes J.C, denomina-se de “humor melancólico”

-       nos anos 300 apôs J.C estigmatiza-se a depressão como um acto de negligencia, já no século XII  assimila-se à preguiça

-       o XVI século vê a melancolia como a doença dos artista e dos génios.

Desde o XX século, designa-se uma pessoa em estado de abatimento ou astenia como sofrendo de doença de depressão.

No entanto, estas diversas denominações que ao longo do tempo desapareceram, continuam na mente colectiva que desvalorizam a depressão. Sempre condenada como uma fraqueza da vontade, uma falta de coragem ou um transtorno existencial, a depressão é todavia uma doença, tal como os diabetes ou colesterol.

A depressão é uma patologia do corpo e do espírito, espírito e corpo são indissociáveis.É preciso destacar que a depressão é o transtorno psicológico mais frequente, afectando cerca de 120 milhões de pessoas no mundo, sendo a 4° causa de morbilidade e prevista para ser a 1° causa de incapacidade em 2030 seguindo à OMS. Em Portugal, a depressão mata 1200 pessoas por ano, envolvendo um custo de milhões de euros.